Dá para trabalhar em casa sem arriscar a saúde mental?

05/05/2022 | Carreira

O início da pandemia e a necessidade de isolamento social fizeram com que muitos profissionais passassem a trabalhar em casa. A medida pegou todo mundo de surpresa, uma vez que o trabalho remoto não era uma prática comum nas empresas brasileiras.

Em locais improvisados ou não, as pessoas tiveram que se habituar à nova rotina de uma hora para outra, o que mexeu com o estado emocional, com a produtividade e com a relação interpessoal. Os populares happy hours deixaram de ser habituais e as conversas nos corredores perderam espaços para rápidas trocas de mensagens por aplicativo.

O fato é que, depois de tantos meses de mudanças no mundo corporativo, a prática de trabalhar em casa – ou pelo menos de forma híbrida – ganhou força e veio para ficar. Aí surge a dúvida: será que é possível trabalhar em casa sem comprometer a saúde mental

A resposta é sim!

 

Por que trabalhar em casa mexe com a saúde mental?

Certamente uma parte dos profissionais amou a ideia de não precisar sair de casa todos os dias para ir à empresa. Mas para outra parte as sensações de trabalhar em casa foram de dificuldade de adaptação, tristeza, solidão e ansiedade.

Reinventar as práticas antes comuns nas empresas nos ambientes domésticos exige disciplina, paciência e dedicação. Afinal de contas, este estilo de vida pouco habitual pode comprometer comportamentos até então comuns do dia a dia, como sair de casa e se exercitar.

O medo de ficar triste surge por conta das incertezas que este regime de trabalho provoca. Para entender melhor, você pode fazer uma comparação direta com a modalidade presencial, na qual deve-se ir à empresa todos os dias.

Neste regime, por mais cansativo que seja, há certas recompensas. Por exemplo, você cria uma rotina mais regrada e conversa com muitos colegas de trabalho. Outra característica comum é ficar rodeado por outros profissionais, que se tornam importantes colegas conforme mais tempo você passa na empresa.

Já ao trabalhar em casa, toda a experiência se limita à tela do computador. Em alguns casos, você pode até mesmo ficar mais isolado ou sentir uma sensação de esgotamento mais acentuada.

O isolamento acontece porque você, ao invés de ir à empresa, limita seus dias aos atos de acordar e ficar na sua estação de trabalho. Assim, caso você não saia de casa após o expediente, o dia começa e termina no mesmo lugar.

Já a sensação de esgotamento tem relação com o local de trabalho. Na prática, a casa passa a ser o seu ambiente de trabalho e, caso não haja nenhuma distinção, é possível ficar em estado de alerta contínuo.

LEIA MAIS: Vida profissional da mulher: quais desafios ela ainda enfrenta?

 

Como trabalhar em casa e cuidar da saúde mental? 

Trabalhar em casa não precisa ser algo penoso. Pelo contrário, essa nova rotina pode ser uma ótima forma de se reconectar e tornar a qualidade de vida ainda melhor.

Para evitar a fadiga e ter mais qualidade de vida no home office, uma dica é buscar novas práticas para a sua rotina, como realizar exercícios físicos, marcar compromissos após o expediente e conhecer lugares diferentes.

O exercício físico pode ser feito em uma academia ou até mesmo durante o expediente. O yoga, por exemplo, conta com posturas que podem ser feitas em pouco mais de 10 minutos e garantem uma sensação imediata de descanso.

LEIA TAMBÉM: Como a atividade física pode ajudar na terapia?

Os compromissos após o expediente também estão entre as melhores formas de aproveitar o dia. Isso porque você sai de casa e vive experiências únicas para tornar o seu dia mais importante.

Além dos compromissos, você também consegue adotar hábitos novos ou retomar hobbies antigos, como visitar exposições, museus e outros lugares.

Para trabalhar em casa sem prejudicar a saúde mental também é importante contar com o apoio de uma especialista, para ajudar você a se autoconhecer nesta nova fase e a lidar com este estilo de vida de forma leve e produtiva.

Neste momento a clínica de psicologia Desenvolviver pode ajudar você!

Criado em 2017, pela psicóloga Fernanda Correa Brito (CRP 06/102387), o consultório de psicologia está localizado próximo ao metrô Santa Cruz, zona sul de São Paulo, e conta com equipe de psicólogas experientes e com diferentes especializações, todas credenciadas no Conselho Regional de Psicologia.

Além do atendimento presencial, a Desenvolviver oferece psicoterapia online. Para agendar a sua consulta, ligue (11) 3539-2939 ou mande um e-mail para recepcao@desenvolviver.com.

Fernanda Brito

Fernanda Brito

Idealizadora e supervisora clínica da Desenvolviver, com especialização em Psicanálise Clínica e forte experiência em psicologia escolar e RH. Também promove palestras em empresas e eventos pelo Brasil, falando sobre temas como ansiedade, depressão, conflitos familiares, estresse pós-traumático, bullying, entre outros.

Newsletter

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.