Psicologia online: como funciona?

por | maio 7, 2019 | Psicoterapia Online | 0 Comentários

As pessoas que desejam fazer terapia, mas não encontram tempo em suas agendas para atravessar a cidade e se encontrar semanalmente com um profissional, podem recorrer à psicologia online. Você já ouviu falar?

Esta forma mais tecnológica de conversar com um terapeuta abriu portas para que mais pessoas tivessem acesso aos benefícios que a psicoterapia pode oferecer para quem busca autoconhecimento e bem-estar.

A psicologia online divide terapeuta e paciente apenas por uma tela de computador. Cada uma das partes envolvidas escolhe o lugar mais reservado e adequado para que a sessão ocorra com o mesmo grau de conforto e confidencialidade.

 

Como funciona a psicologia online?

Nesta modalidade de terapia, a consulta ao paciente é realizada com a ajuda de um software específico de áudio, vídeo e texto. A sessão é conduzida por um profissional de psicologia devidamente credenciado no Conselho Federal de Psicologia.

De acordo com as novas normas do CFP, a psicoterapia online não tem limites de sessões e o tempo a duração dos encontros variam de acordo com a necessidade do paciente e quadro clínico.

Somente pacientes com casos considerados graves não podem realizar terapia online. Para estas pessoas é necessária a realização da terapia tradicional, ou seja, presencial.

Regulamentação da psicologia online

Muito comum em outros países, a psicologia online aqui no Brasil é regulamentada pela Resolução CFP nº 011/2012, de 25 de junho de 2012. A fiscalização do serviço é feita pelo Conselho Federal de Psicologia, através dos Conselhos Regionais.

Para organizar o serviço de psicologia online e garantir que ele seja feito com a seriedade e ética necessárias, o Conselho Federal de Psicologia criou uma cartilha para que nortear o trabalho dos terapeutas.

 

Benefícios da psicologia online

Quando o assunto é terapia, logo pensamos em uma sala reservada com divã ou poltronas confortáveis onde ficam acomodados o paciente e o terapeuta. Este formato existe e funciona muito bem. Porém, o Conselho Federal de Psicologia se rendeu à tecnologia e permitiu que a internet se tornasse um novo meio de realização de terapias.

Com a regulamentação da psicologia online, muitas pessoas interessadas em fazer terapias foram beneficiadas:

Pessoas que moram em outra cidade

Encontrar um psicólogo que cause empatia logo nas primeiras conversas pode ser difícil para muitas pessoas. Além disso, antes da Psicoterapia online, moradores de cidades pequenas deveriam se locomover para outro distrito afim de ter sessões com profissionais completamente neutros.

Pessoas de outro país

Cada um possui um motivo específico para mudar de país, mas a adaptação pode ser um desafio. Nessas horas é ótimo poder conversar com alguém imparcial, como um profissional de psicologia, capaz de entender nossas inquietações e medos, que se comunique em nosso idioma materno.

Pessoas com mobilidade reduzida

Nem todas as cidades estão preparadas para atender às necessidades das pessoas com mobilidade reduzida, o que acaba dificultando o deslocamento dessa parcela da população. Com a psicoterapia online, esses pacientes poderão contar com a assistência de um profissional de psicologia sem precisar sair de casa.

É importante ressaltar que não é qualquer clínica que realiza a psicoterapia online. Por isso é importante procurar pelos consultórios que sejam credenciados pelo Conselho Federal de Psicologia para a prática desse serviço.

A clínica Desenvolviver, localizada na Vila Mariana, zona sul de São Paulo, oferece o serviço de psicologia online e atende particular e convênio. Para agendar a sua consulta, ligue (11) 98229-5799 ou mande um e-mail para recepcao@desenvolviver.com.


Fernanda Brito

Fernanda Brito

Idealizadora e supervisora clínica da Desenvolviver, com especialização em Psicanálise Clínica e forte experiência em psicologia escolar e RH. Também promove palestras em empresas e eventos pelo Brasil, falando sobre temas como ansiedade, depressão, conflitos familiares, estresse pós-traumático, bullying, entre outros.


0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *