Como ajudar alguém que tem pensamentos suicidas?

por | set 17, 2020 | Questões Emocionais | 0 Comentários

Os pensamentos suicidas não têm dia e nem hora determinada para invadir a mente. Geralmente, quando alguém é tomado pela falta de esperança, deixa que sentimentos negativos atrapalhem o seu jeito de encarar as situações difíceis que aparecem ao longo da vida.

Muitas vezes, os pensamentos suicidas não querem dizer que a pessoa vai, de fato, tirar a própria vida. Essa sensação de que nada mais tem jeito leva o indivíduo a crer que, daquele dia em diante, ele não encontrará nenhum momento de alegria.

O falecimento de um ente querido, a perda de um emprego, um trauma de infância, o término de um relacionamento e dívidas são alguns dos problemas que podem fazer a pessoa perder de vez a esperança, seja nela mesma, seja em um mundo onde ela se sinta feliz.

A pessoa começa a desenvolver pensamentos suicidas quando um fato em si ou as circunstâncias que levam ao acontecimento ruim parecem tão intoleráveis que a morte passa ser a melhor saída para aliviar a dor e evitar que novos desdobramentos aconteçam.

 

Qual o perfil da pessoa que desenvolve pensamentos suicidas?

Muitos estudos tentam definir o perfil da pessoa com tendência a desenvolver pensamentos suicidas. Mas a verdade é que, de alguma forma, muitos de nós já perdemos totalmente a esperança por algum momento ao longo da vida e pensamos na morte como uma fuga.

O quadro se agrava quando essa desesperança é persistente. Neste caso, a pessoa começa a desenvolver outras doenças que aprofundam os sentimentos negativos e os pensamentos suicidas, como a depressão, a síndrome de pânico e a ansiedade.

LEIA MAIS: Como lidar com a ansiedade?

Vale ressaltar que uma pessoa não comete suicídio por impulso. Os pensamentos suicidas geralmente são nutridos ao longo de um tempo e há quem faça tentativas antes de tirar a vida de fato ou informe a família de maneira direta ou não sobre o desejo de morrer.

Por isso, é importante observar o comportamento e a comunicação de pessoas que se mostram muitos tristes ou desesperançosas demais. Um quadro muito prolongado merece atenção, cuidado e ajuda especializada.

 

O que fazer para ajudar alguém com pensamentos suicidas?

Se você conhece alguém que está passando por um intenso momento de tristeza, você pode ajudar de diferentes maneiras:

Ofereça o seu ombro amigo

Às vezes uma pessoa que tem pensamentos suicidas está sufocada pelos seus sentimentos e problemas e não encontra alguém que possa ouvi-la. Portanto, aproxime-se e deixe que a pessoa se abra e tente aliviar as suas angústias.

Nunca deboche

Há quem veja os pensamentos suicidas como frescura e os coloque no mesmo patamar de outros problemas que considera igualmente irreais, como a depressão e a ansiedade. Não faça isso. Quanto mais deboche, mais você fortalece o desejo da pessoa de tentar contra a própria vida, pois acredita que ninguém possa ajudá-la.

Entenda e não julgue o motivo

A última coisa que uma pessoa com pensamentos suicidas precisa é de alguém que julgue seu motivo como sendo pouco importante. Cada um sabe o quanto e como determinado problema lhe afeta e o que ela mais precisa é de alguém que a ouça com carinho.

Indique ajuda especializada

A terapia pode ser um bom recurso para ajudar pessoas com pensamentos suicidas. As sessões vão ajudar a identificar as causas e propor soluções que a ressignifiquem esses problemas, incentivando a busca por novas formas de viver.

Conforme dissemos, os pensamentos suicidas se desenvolvem ao longo do tempo, por isso é importante freá-los a tempo de a pessoa se fortalecer e encontrar saídas para enfrentar os seus problemas.

Se você conhece alguém que tenha pensamentos suicidas, ofereça ajuda e venha com ela conhecer a clínica de psicologia Desenvolviver.

Criado em 2017, pela psicóloga Fernanda Correa Brito (CRP 06/102387), o consultório de psicologia está localizado próximo ao metrô Santa Cruz, zona sul de São Paulo, e conta com equipe de psicólogas experientes e com diferentes especializações, todas credenciadas no Conselho Regional de Psicologia.

Além do atendimento presencial, a Desenvolviver oferece a psicoterapia online. Para agendar a sua consulta, ligue (11) 98229-5799 ou mande um e-mail para recepcao@desenvolviver.com.


Fernanda Brito

Fernanda Brito

Idealizadora e supervisora clínica da Desenvolviver, com especialização em Psicanálise Clínica e forte experiência em psicologia escolar e RH. Também promove palestras em empresas e eventos pelo Brasil, falando sobre temas como ansiedade, depressão, conflitos familiares, estresse pós-traumático, bullying, entre outros.


0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *