Violência psicológica contra a mulher: como combater

por | jul 25, 2019 | Relacionamentos | 0 Comentários

Estágio que antecede a violência física, a violência psicológica pode comprometer de maneira severa a vida das mulheres. Envolvidas na relação, muitas vezes elas não conseguem enxergar as agressões verbais e, quando as identificam, se sentem culpadas por elas terem acontecido.

Os casos de violência psicológica acontecem com frequência em relacionamentos amorosos, dos mais recentes aos mais longos, e são uma das características mais comuns de um relacionamento abusivo.

Seja a própria mulher, seja um parente ou amigo que identifique os sinais de violência psicológica, é essencial procurar auxílio na psicoterapia. A terapia pode ser um ótimo caminho para a mulher reencontrar a autoestima e a força para sair desta situação.

 

Como identificar uma violência psicológica?

A mulher que sofre violência psicológica na maioria das vezes se sente acuada e deprimida, pois não sabe como mudar essa história. Em certos casos, apresenta dificuldades para descrevê-la claramente com palavras.

Entre as situações mais comuns que são consideradas violência psicológica estão:

  • Críticas constantes do companheiro.
  • Homem eleva a voz e xinga o tempo todo a mulher.
  • Todas as conquistas que a mulher compartilha com o companheiro são desprezadas por ele.
  • Mulher é exposta ao ridículo na frente de amigos e familiares.
  • Companheiro atribui à mulher a culpa pelo comportamento agressivo.
  • Vive sob ameaças do companheiro nas mais diferentes situações.
  • Homem ameaça romper a relação caso a mulher não satisfaça todas as suas vontades.

A violência psicológica pode levar ao desenvolvimento de quadros de depressão e de baixa autoestima. Com isso, a mulher começa a se afastar de amigos e familiares e a apresentar baixo rendimento no trabalho.

Outro comportamento muito comum entre as mulheres que sofrem violência psicológica é o sentimento de culpa. Elas acreditam que o mau comportamento do companheiro é culpa delas, sentimento que as tornam cada vez mais vulneráveis e vítimas do agressor.

Há também casos nos quais a mulher só percebe que está vivendo um quadro de violência psicológica quando se depara com relacionamentos saudáveis, nos quais as pessoas se tratam com respeito. Neste momento, ela começa a fazer comparações e questionar seu companheiro sobre o relacionamento.

Esse cenário pode ser a porta de entrada para a própria mulher pedir ajuda ou aceitar que alguém de fora faça algum tipo de interferência.

É relevante notar que em relacionamentos homoafetivos também pode existir papéis de agressora e agredida, em que uma parte se sente responsabilizada pela hostilidade da outra.

 

Qual o papel da psicoterapia em situações de violência psicológica?

É importante deixar claro que o psicoterapeuta tem o objetivo de ouvir a mulher com neutralidade, sem qualquer tipo de julgamento.

Por meio de uma conversa direcionada, o profissional vai ajudar a paciente a encontrar dentro si as respostas que tanto procura para compreender as razões que a fazem manter esta relação, buscar caminhos e atingir uma maior qualidade de vida e bem-estar.

O terapeuta trabalha diretamente a retomada da autonomia, do autoconhecimento e da autoestima da paciente, de forma que ela se sinta fortalecida para buscar sua própria felicidade e bem-estar.

Em caso de quadros de depressão, tristeza e ansiedade diretamente ligados à violência psicológica sofrida dentro de casa, a psicoterapia atua no tratamento desses problemas. Identificando os sintomas e as causas-raízes que os envolvem, a mulher apresenta maiores chances de compreender a situação que está vivendo e buscar as melhores soluções.

Se você busca ajuda profissional ou conhece alguém para precisa superar os traumas de uma violência psicológica, conheça a clínica de psicologia Desenvolviver.

Criado em 2017, pela psicóloga Fernanda Correa Brito (CRP 06/102387), o consultório de psicologia está localizado próximo ao metrô Santa Cruz, zona sul de São Paulo, e conta com equipe de psicólogas experientes e com diferentes especializações, todas credenciadas no Conselho Regional de Psicologia.

Além do atendimento presencial, a Desenvolviver oferece a psicoterapia online. Para agendar a sua consulta, ligue (11) 98229-5799 ou mande um e-mail para recepcao@desenvolviver.com.

Para ler outros assuntos sobre o universo da psicoterapia, clique aqui.


Fernanda Brito

Fernanda Brito

Idealizadora e supervisora clínica da Desenvolviver, com especialização em Psicanálise Clínica e forte experiência em psicologia escolar e RH. Também promove palestras em empresas e eventos pelo Brasil, falando sobre temas como ansiedade, depressão, conflitos familiares, estresse pós-traumático, bullying, entre outros.


0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *