Quando uma criança não quer ir para a escola

por | abr 18, 2018 | Psicoterapia Infantil | 0 Comentários

De repente, a hora de ir para a escola vira motivo de choro, resistência, inquietação, ansiedade. As faltas podem se tornar constantes, ocorrendo também diminuição da participação nas atividades em sala de aula e a decorrente queda no desempenho e dificuldades de aprendizagem. Como entender a recusa escolar e como lidar com ela?

Há três períodos nos quais ocorre maior incidência de recusa em ir à escola, que são os períodos entre a pré-escola e o primeiro ano do ensino fundamental, entre o primeiro e o segundo ciclo do ensino fundamental e entre o fundamental e o ensino médio. Essas fases são de difícil transição para algumas crianças pois ocorrem mudanças nos modelos de estudo, relacionamentos cm amigos e professores e muitas vezes de escola também. Além desses períodos citados, a recusa escolar também pode aparecer em períodos diversos, dependendo muito da história de vida de cada criança.

As causas que levam uma criança a recusar ir para a escola podem ser as mais diversas. Devemos questionar o que pode estar acontecendo para que essa criança não queira mais ir à escola, e quais acontecimentos podem estar relacionados. Alguns exemplos podem ser alterações na dinâmica familiar, como por exemplo nascimento de irmãos, separação dos pais ou morte de algum familiar.

A recusa escolar pode ser decorrente de insegurança e relações de dependência com os pais, ocasionando dificuldade de separação, principalmente em crianças menores em fase de adaptação escolar, ou em crianças de qualquer idade que possam se encontrar em um estado de maior vulnerabilidade emocional e necessidade de proteção dos pais ou cuidadores. A dificuldade em ir para a escola também pode estar relacionada a rejeição do grupo, bullying, medo de não ser aceita ou auto cobranças excessivas de bom desempenho escolar.

Também devemos considerar o contexto escolar e a relação como  professores e colegas, e o modelo de ensino aprendizagem que pode não estar sendo adequado aquela criança no momento.

É importante que os pais ou responsáveis estejam atentos a rotina da criança e a relação que ela tem com a escola, para que possam ser identificados os sinais de que talvez algo não vá bem. Devemos oferecer um clima de escuta para essa criança para que seja possível entender as causas dessa recusa em ir para a escola, participação dos pais na vida escolar e incentivo a conversas sobre o que pode estar incomodando essa criança, para que sejam encontradas alternativas para que ela possa retomar suas atividades escolares sem prejuízo ao  seu aprendizado, a partir da compreensão de suas emoções e dos fatores que possam estar relacionados a sua dificuldade em ir à escola.


Fernanda Brito

Fernanda Brito

Idealizadora e supervisora clínica da Desenvolviver, com especialização em Psicanálise Clínica e forte experiência em psicologia escolar e RH. Também promove palestras em empresas e eventos pelo Brasil, falando sobre temas como ansiedade, depressão, conflitos familiares, estresse pós-traumático, bullying, entre outros.


0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *