Quais as consequências da alienação parental para uma criança?

por | fev 20, 2020 | Psicoterapia Infantil | 0 Comentários

A alienação parental acontece quando um cônjuge tenta desmoralizar ou desconstruir a imagem do parceiro para a criança, que é o fruto da relação.

Sabemos que o divórcio é um momento muito complicado na vida de um casal. Afinal de contas, a história do amor termina, juntamente com os sonhos e planos construídos. E, quando há filhos, essa separação se torna ainda mais complicada.

Não são somente os pais que podem praticar a alienação parental. Avós, tios e outros adultos podem incutir na criança uma visão distorcida de um genitor, levando a um processo de repulsa, mágoa e medo.

 

O que leva os adultos a praticarem a alienação parental?

Quando se fala de relacionamento conjugal, uma série de sentimentos toma conta dos casais na hora da separação, sendo um deles a raiva. Sem saber como lidar com ela, os cônjuges acabam descontando na criança a decepção de ver o casamento acabar.

Na tentativa de atingir o outro, a mãe, por exemplo, começa a criar uma imagem negativa do pai para a criança, fazendo com que ela desenvolva sentimentos ruins acerca da figura paterna e comece a não querer mais a presença dela na sua vida, e vice-versa.

Nesse processo de divórcio, os avós e outros parentes podem reforçar essa alienação parental, deixando a criança cada vez mais confusa em relação ao cenário que está vivendo e sendo obrigada a tomar decisões que podem deixar marcas em sua vida e de toda a família.

Muitos são os motivos para que um dos cônjuges pratique a alienação parental:

  • Recusa em compartilhar a guarda da criança
  • Tristeza por ver o casamento acabar
  • Sentimento de vingança
  • Medo de deixar de ser amado pelo filho

Existem casos nos quais os responsáveis pela criança não sabem que estão praticando a alienação parental e nem o quanto a estão prejudicando com essa atitude. Ao criticar abertamente o lado da relação que julgam ser o culpado pelo fim da relação, os adultos dão aos pequeninos munição para analisarem a situação de maneira unilateral, comprometendo certas tomadas de decisão que poderiam ser menos penosas.

A alienação parental pode acontecer de diferentes maneiras:

  • Um cônjuge fala mal do outro na presença da criança.
  • A mãe ou o pai inventa compromissos que a criança adora bem no dia em que o outro genitor vem buscá-la.
  • Um responsável oferece presentes e padrões de vida que o outro jamais teria condições de dar para a criança.
  • Um genitor começa a namorar e diz que o parceiro(a) é agora seu pai/mãe.
  • A mãe ou o pai se muda com a criança para um local bem distante do outro genitor, dificultando o contato físico.
  • Os avós, tios e outros parentes começam a criar uma imagem falsa de um dos genitores ou ressaltar seus defeitos.

 

Quais as consequências da alienação parental para a criança

Primeiramente, é muito complicado para a criança entender os motivos pelos quais o casamento dos seus pais chegou ao fim, ou porque precisa escolher com quem deseja ficar.

Sem saber muito bem como se expressar ou como se portar, acaba contando com a opinião e pressão dos adultos que, em certos casos, torna a vida da criança ainda mais confusa e solitária.

É como se um dos genitores provocasse uma espécie de luto na criança, que começa aos poucos a matar dentro dela a visão e a boa relação que ela construiu com o pai/mãe ou responsável ao longo da vida.

Esse cenário causa uma série de consequências na criança:

  • Depressão na infância
  • Crises constantes de ansiedade, por conta da pressão imposta pelos adultos
  • Dificuldade de aprendizagem, devido à falta de concentração
  • Irritabilidade
  • Isolamento social
  • Baixa autoestima, por achar que é culpada pela separação dos genitores

Para minimizar os danos causados à criança e ajudá-la a reencontrar seu lugar no mundo, é importante que a criança tenha acesso a ajuda especializada, como a psicologia infantil. De forma lúdica, um terapeuta consegue interagir com o pequeno paciente e entender o que se passa dentro dela.

Para encontrar o auxílio necessário, venha conhecer a clínica de psicologia Desenvolviver.

Criado em 2017, pela psicóloga Fernanda Correa Brito (CRP 06/102387), o consultório de psicologia está localizado próximo ao metrô Santa Cruz, zona sul de São Paulo, e conta com equipe de psicólogas experientes e com diferentes especializações, todas credenciadas no Conselho Regional de Psicologia.

Além do atendimento presencial, a Desenvolviver oferece a psicoterapia online. Para agendar a sua consulta, ligue (11) 98229-5799 ou mande um e-mail para recepcao@desenvolviver.com


Fernanda Brito

Fernanda Brito

Idealizadora e supervisora clínica da Desenvolviver, com especialização em Psicanálise Clínica e forte experiência em psicologia escolar e RH. Também promove palestras em empresas e eventos pelo Brasil, falando sobre temas como ansiedade, depressão, conflitos familiares, estresse pós-traumático, bullying, entre outros.


0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *